A vida é sua

A vida é sua

App

 

Temas da Longevidade

A vida é sua


Matilde chorava junto da avó Rosa, nesse dia de calor e frustrações. Tinha perdido o telemóvel, não tinha conseguido assistir à aula de dúvidas antes do exame, queria comprar bilhetes para o concerto e já estava esgotado. Exclamou “tenho inveja dos reformados que não têm nada para fazer!”. A avó respondeu a Matilde “não ter nada para fazer nunca é bom. Fazer o que queremos, isso sim é bom. A vida preenche-se, não se esvazia, e preenche-se com o que nos interessa, nos pode ser útil e pode ser útil aos outros. Todos esses problemas não são razão para chorar. Temos sim é que aprender a responder às adversidades de forma a traçar a nossa vida. A vida não se faz de sorte, mas de determinação no que queremos construir”.


Estas observações da avó Rosa tocam um ponto muito importante é que somos nós os senhores da nossa vida e não podemos passivamente acreditar que são os outros a resolvê-la por nós. A passividade que surge no envelhecimento contraria o sentido de participação e inclusão que se deseja na longevidade. Se os de mais idade não lutarem pelos seus direitos, participação social e valor  social e económico vão perpetuar a ideia de desvalorização da longevidade, sendo tratados por todos de forma paternalista. Pior, vão acreditar eles próprios que são inúteis. Ser velho na longevidade é um estado de espírito que condiciona a condição da pessoa a todos os níveis, até a sua saúde. Saber envelhecer não é parecer jovem, não é eliminar rugas e deixar de ter peles caídas, é ser o que se é, ter aspirações, ter projetos e continuar a lutar por todos os seus legítimos direitos. Não é ser defendido abstratamente como fonte de sabedoria. É ser considerado como força social. Isto é a atitude para combater o ageísmo, ou seja o preconceito face aos mais velhos. Sermos senhores da nossa vida é conquistá-la no dia a dia e no futuro, para nós próprios e para os outros. Demonstrar que a longevidade é uma conquista extraordinária e o envelhecer um tempo de vida que pode ser extraordinário. A vida é sua, não a deixe cair nas mãos dos outros. Não abandone a vida!

Para terminar deixo esta pergunta final “Quer combater o ageísmo sem tomar conta da sua vida?”